O ano bissexto

Os egípcios fôramos primeiros a perceber que o ano era um pouco maior do que 365 dias, mas menor do que 366 dias, e assim inventaram o ano bissexto. Porque ele é importante?

Foram os egípcios os primeiros que estabeleceram o ano com 365 dias. A razão para inventar o ano era prever quando o Rio Nilo iria encher, as suas águas transbordarem pelas suas margens, cobrirem as suas terras que férteis e facilitar a agricultura. Foi este fenômeno climático o que motivou a descoberta do ano. Primeiro eles inventaram o ano como tendo 365 dias, mas, depois, perceberem que era um pouquinho maior, ¼ de dia ou 6 horas, assim passaram a dizer que a medida do ano era 365 e ¼ de dia.

Qual é a importância destas 6 horas ou um quarto de um dia a mais? Uma maneira simples de incorporá-la no calendário foi ter um ano de 366 dias, um ano com um dia a mais, a cada 4 anos. Este ano é chamado ano bissexto. Mas você pode se perguntar, isto é mesmo necessário? E se nada fosse feito o que aconteceria?

Para perceber a importância de haver o ano bissexto vamos imaginar o que aconteceria se ele não existisse. Como um século tem cem anos, se não utilizássemos a regra do bissexto, você deixaria de adiciona vinte e cinco dias a cada século, cem dividido por quatro. Em dois séculos seriam cinqüenta dias, em três séculos setenta e cinco dias, em quatro cem dias e assim por diante. O que aconteceria se nós não adicionássemos estes dias ao calendário?

Você pode entender lembrando a razão para a invenção do calendário, prever o clima durante o ano. A nossa experiência cotidiana nos ensina que o clima se repete de forma aproximada. Por exemplo, o clima do dia 11 de janeiro de 2008 dificilmente será exatamente o mesmo clima do dia de 11 de janeiro de 2009. Mas o clima dos meses de janeiro, da maioria dos anos, é muito parecido entre si. O clima do mês de janeiro é um pouco diferente do clima mês anterior, dezembro, como também do clima do mês seguinte, fevereiro. O clima de janeiro é muito diferente do clima do mês de maio.

Agora veja, se nós não adicionarmos este dia a mais a cada quatro anos, após um século deixaríamos de adicionar vinte e cinco dias, e isto é quase o tamanho de um mês. O resultado seria que o clima característico de um mês passaria a ser o do mês anterior. Veja que em quatro séculos sem bissexto faltariam 100 dias e o clima mês de janeiro ficaria parecido com maio. Muitas festas na nossa sociedade correspondem a uma celebração de plantio ou de colheita.  Se você não plantar na época adequada a sua plantação ou se perde ou produzirá pouco. A regra do bissexto permite preservar o clima e indicar quando é melhor plantar.

Mas hoje não é apenas a questão da agricultura que é importante. Analise o seu calendário escolar e nele você poderá perceber que o período de férias mais longo ocorre no verão. Para nós que moramos no hemisfério sul, os meses de dezembro, janeiro e fevereiro que são os mais quentes e por isto de férias. No hemisfério norte as férias mais longas são nos meses de junho, julho e agosto. O verão no hemisfério norte é nesta época. Perceba que os países planejam o calendário escolar de forma a que, no verão, vocês estão de férias. Já imaginaram, na época mais quente do ano e vocês dentro de uma sala de aula? Só se você estiver muito doente é que você fica dentro do seu quarto, trancado, no mês de janeiro.

Perceba outra conseqüência no futebol. Quando é que ocorrem os jogos de futebol? As férias dos jogadores no Brasil são em dezembro e começo de janeiro, depois disto eles se apresentam e começa a temporada que vai até início de dezembro. Já na Europa, os campeonatos começam em setembro, e, às vezes, param perto do Natal por causa do frio e neve, continuam em janeiro e terminam em maio. Querem evitar tanto jogar num clima muito quente, verão ou sob a neve, perto do Natal.

Vejam que a agricultura, a escola, e o futebol todos teriam problemas se não houvesse a regra dos bissextos.

Atividade complementar.

Está difícil de compreender? Então faça a seguinte experiência. Meça uma das dimensões de sua carteira, largura ou comprimento, usando para isto um lápis. Conte quantos lápis são necessários para determinar o comprimento ou a largura de sua carteira. Ao fazer esta medida eu tenho quase certeza que você descobrirá que ela não é um número inteiro, 1, 2, 3, 4, .. do tamanho do seu lápis, será um número inteiro mais um pedaço. Agora junte duas carteiras e meça novamente a largura das duas carteiras usando o mesmo lápis, repita o mesmo procedimento para três, quatro e você perceberá que aquele pedaço de lápis que sobrou começará a se somar e virará mais um lápis, assim como os pedaços de dia que sobraram da medida do ano se somam e viram um dia.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.